Chegou ao fim a era dos Boeing 707 no Brasil: Na segunda (13), a última aeronave KC-137, versão militar do quadrimotor, foi destruída no pátio da Base Aérea do Galeão por uma retroescavadeira. O “sucatão” estava estacionado lá desde de Outubro de 2013.

O avião estava inteiro e tinha condições de voo, foram realizados três leilões para a venda do mesmo mas ninguém se interessou, provavelmente devido à sua idade avançada, dificuldades de manutenção e incertezas técnicas. A Boeing iniciou a produção do 707 em 1954 e terminou em 1978 com a configuração comercial, as versões militares foram produzidas até 1991.

Muito se falou à respeito da destinação final da aeronave, que poderia ser entregue a algum museu para a preservação da história aeronáutica, porém nada foi comprovado. O 707, que foi tão importante para a Varig e a FAB no Brasil, foi reduzido, literalmente, à um monte de sucata, para a tristeza dos entusiastas que gostariam de poder revisitar este icônico avião, que foi o primeiro jato da companhia norte-americana.

O 707 foi um divisor de águas para a Boeing: Até então era uma empresa sem muita expressão, mas o quadrimotor teve ótima aceitação e desbancou sua principal concorrente comercial no momento, a Douglas, com o DC-8.

A operação do 707 é vetada em diversos aeroportos do mundo, devido ao seu alto nível de ruído.

Confira aqui o vídeo da destruição.

 

(342)