TAP carried a total of 15.8 million passengers in 2018, registering a growth of 10.4 percent over the previous year, well above the growth averages of airlines in Europe and globally.

A TAP transportou em 2018 um total de 15,8 milhões de passageiros, registando um crescimento de 10,4 por cento face ao ano anterior, bastante acima das médias de crescimento das companhias aéreas na Europa e a nível global.

As rotas que mais contribuíram para este crescimento assinalável foram as europeias (excluindo Portugal), nas quais a TAP transportou mais 932 mil passageiros do que em 2017, o equivalente a mais 10,7 por cento.

Nos voos entre Lisboa, Porto e Faro, a TAP transportou pela primeira vez mais de um milhão de passageiros, atingindo os 1,1 milhões, que traduzem um crescimento de 9,4 por cento face ao ano anterior.

Os voos entre o Continente e os Açores e a Madeira foram os que registaram o maior crescimento relativo, de 13,5 por cento, totalizando 1,3 milhões de passageiros, mais 156 mil do que no ano anterior.

As rotas africanas operadas pela TAP tiveram um aumento considerável do número de passageiros, tendo sido transportados mais 116 mil do que em 2017, para um total de 1,1 milhões de passageiros, o que representa um crescimento de 11,2 por cento.

A grande aposta e investimento da TAP no mercado norte-americano refletiu-se no crescimento de 9,6 por cento no número de passageiros transportados, que aumentaram em 70 mil face a 2017, para um total de 800 mil.

As rotas do Brasil continuam a ser determinantes para a TAP e registaram também um forte aumento do número de passageiros transportados ao longo do ano passado. No total, a TAP transportou entre Portugal e o Brasil, de e para as 10 cidades onde opera neste país, 1,7 milhões de passageiros, mais 124 mil, ou 7,8 por cento, do que em 2017.

Quanto aos principais indicadores utilizados na indústria do transporte aéreo, em termos de ASK (assentos disponíveis por quilómetros voado, uma medida de oferta de lugares), a TAP teve em 2018 um crescimento de 12,3 por cento, para um total de 47 milhões.

O RPK (número de passageiros pagantes por quilómetros voados, uma medida de procura de lugares) cresceu 9,6 por cento, para um total de 38 milhões.

Ambos os indicadores mostram crescimentos da TAP bastante acima das médias de crescimento na indústria, a nível europeu e global.

Devido a um crescimento da oferta (ASK) superior em 2,7 pontos percentuais ao aumento da procura (RPK), o Load Factor (taxa de ocupação dos lugares oferecidos) foi de 81 por cento, menos dois pontos percentuais do que em 2017, colocando a taxa de ocupação da TAP em níveis semelhantes aos da média das restantes companhias europeias (81,7 por cento) e acima da média mundial que, em 2018, ficou próxima dos 80 por cento (dados divulgados publicamente pela IATA, referentes ao acumulado a novembro de 2018).

Fonte: AviaoRevue

(1)