O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto de Vitória/Eurico de Aguiar Salles (ES) encerrou 2018 com números positivos. No período, o terminal processou 3.789,5 toneladas (t) ante as 3.541,4 t registradas em 2017, um aumento de cerca de 7%. O maior volume de cargas armazenadas em 2018 ficou por conta do setor de importação, com 3.745,3 t, alta de mais de 5% em relação às 3.496,2 t recebidas no complexo logístico capixaba no ano anterior.

Inaugurado em 21 de outubro de 1976, o terminal de cargas do Aeroporto de Vitória opera principalmente cargas na área de importação, recebendo com mais frequência eletrônicos, equipamentos de telecomunicação, vestuário, cosméticos, medicamentos e insumos industriais. Na exportação, os produtos mais comuns são amostras de granito e outros minerais, café, flores e produtos de informática.

O coordenador de Negócios em Soluções Logísticas do Aeroporto de Vitória, Ezequiel Gomes Ferreira, explica que a alta na movimentação de cargas se deve, principalmente, ao excelente desempenho do comércio exterior capixaba. “Os resultados do comércio exterior do Espírito Santo foram bem superiores quando comparados à média nacional. Este otimismo do empresariado fez com que o mercado aumentasse as importações, trazendo consequências positivas para o complexo logístico do aeroporto, que por sua vez soube aproveitar o momento e investiu na prospecção de novos negócios”, afirmou.

O complexo logístico conta com uma área de armazém de alvenaria alfandegado de cerca de 2.200 m², mais 1.000 m2 de armazém estruturado lonado, totalizando 3.200 m2. O terminal dispõe de infraestrutura que inclui uma área de câmaras refrigeradas de 78 m², armazém de cargas perigosas e armazém de materiais radioativos.

Gestão privada
O Terminal de Logística de Carga do Eurico de Aguiar Salles passou a ser administrado, desde janeiro do ano passado, pela DawLog. A empresa agora é responsável pela gestão comercial, operacional e administrativa do complexo.

A transferência das operações, por meio de licitação, faz parte do posicionamento estratégico da Infraero, que prevê a exploração comercial de complexos logísticos situados nos aeroportos que administra. Dessa forma, a Infraero busca permanecer alinhada às melhores práticas de mercado, mantendo a competitividade no setor e buscando todas as oportunidades possíveis para gerar valor, reduzir custos e garantir a máxima eficiência.

Fonte: AviaoRevue

(17)