A Boeing está processando o governo da Dinamarca por este ter rejeitado a proposta para a produção da nova aeronave de combate da Força Aérea Real Dinamarquesa. O Boeing Super Hornet (F-18) perdeu para um competidor também norte-americano, o F-35, da Lockheed Martin, que será o novo caça do país nórdico.

A Boeing está movendo a ação contra o ministério da defesa pois quer ter acesso aos documentos que levaram as autoridades dinamarquesas a escolherem o caça da Lockheed Martin em vez do Super Hornet. Até o presente momento o governo dinamarquês não apresentou nada à Boeing. A fabricante americana já tinha anunciado que entraria na justiça assim que a decisão de adquirir o F-35 foi anunciada.

“Nós acreditamos que a avaliação do ministério dos candidatos está cheia de erros fundamentais que dão aos leitores a impressão errada do preço e das propriedades dos aviões de combate”, disse Debbie Rubb, vice-presidente da Boeing Global Strike, na época em que a decisão foi anunciada.

Já faz 6 meses que nenhum documento foi apresentado à Boeing, que justifica sua ação dizendo que a decisão da Dinamarca pode influenciar negativamente as vendas do Super Hornet para outros países.

Estamos dando esse passo porque há muita coisa em jogo, tanto na Dinamarca como potencialmente em outros países que estão considerando comprar o Super Hornet”, afirmou Rubb.

(30)