A partir de segunda-feira, 14, a cidade de Rio Verde, em Goiás, será uma das bases que voltará a receber aeronaves da Azul. Com a reabertura da base, a Azul amplia a cobertura pelo modal aéreo no estado de Goiás. Em agosto, a capital, Goiânia, voltou a ter voos para o Rio de Janeiro, além das operações para Palmas (TO) e também Campinas.

Puxando a retomada gradual e segura do serviço aéreo no país, a melhor companhia aérea do mundo, segundo ranking de 2020 do Tripadvisor, deve ofertar 407 voos por dia para 88 destinos no Brasil e no exterior a partir deste mês. Além de Rio Verde, as cidades de Carajás (PA), Imperatriz (MA), Barreiras (BA) e Cascavel (PR) também terão as operações restabelecidas.

Seguindo os protocolos e medidas de higiene estabelecidos pela empresa desde o início da pandemia, os novos voos já estão sendo comercializados em todos os canais oficiais da Azul. Com o ATR 72-600, as partidas de Rio Verde acontecerão três vezes por semana com destino a Viracopos, em Campinas, principal centro de conexões da Azul no país, conectando assim o Cliente rio-verdense a toda a malha nacional e internacional da companhia. De Viracopos, é possível seguir para destinos como Porto Alegre, Curitiba, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Belém, Manaus, até Fort Lauderdale, nos EUA, e Lisboa, em Portugal.

“Estamos dando mais um passo para retomar o fluxo de nossas operações no país, reconectando cidades regionais e proporcionando a opção do modal aéreo para aqueles que precisam viajar a negócios ou para visitar parentes e amigos. Na malha de setembro, voltaremos a conectar cinco destinos brasileiros, reforçando nossa vocação regional e o compromisso da Azul em servir o país. Também estamos fazendo um movimento de fortalecer as opções de conexões a partir de nossas principais bases para trazer mais conveniência e conectividade aos nossos Clientes”, explica Vitor Silva, gerente de planejamento de malha da Azul.

A malha planejada para setembro alcança 46% da capacidade operada pela empresa antes da pandemia e representa um crescimento de 570% na malha de 70 voos que foi operada em abril, no momento mais crítico da crise.

Cascavel volta a receber voos da Azul nessa segunda

A partir de segunda-feira, 14, a cidade de Cascavel, no Paraná, terá voos diários para Viracopos, em Campinas. Os voos acontecerão de segunda à sexta e conectarão os Clientes paranaenses a toda a malha nacional e internacional da Azul. De Viracopos, é possível seguir para destinos como Belo Horizonte, Goiânia, Salvador, Belém ou Manaus, até Fort Lauderdale, nos EUA, e Lisboa, em Portugal.

Com a reabertura de Cascavel, a Azul amplia a cobertura pelo modal aéreo no Paraná. A cidade será a quinta base operada pela Azul no estado – as outras são Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu e a capital, Curitiba.

Em setembro, a Azul, eleita a melhor companhia aérea do mundo no ranking de 2020 do Tripadvisor, também retoma as operações em outras quatro bases. Além de Cascavel, as cidades de Carajás (PA), Imperatriz (MA), Barreiras (BA) e Rio Verde (GO) também voltarão a receber voos da companhia, puxando a retomada gradual e segura do serviço aéreo em todo o país. Com isso, a Azul deve ofertar 407 voos por dia para 88 destinos no Brasil e no exterior no mês, alcançando 45% da capacidade operada pela empresa antes da pandemia, o que representa um crescimento de 570% na malha de 70 voos que foi operada em abril, no momento mais crítico da crise.

O novo padrão de limpeza e segurança da Azul

A Azul reforçou a limpeza de suas aeronaves a cada voo e à noite, seguindo os protocolos sugeridos pela IATA. A companhia também foi a primeira do país a tornar obrigatório o uso de máscaras por Tripulantes e Clientes, tanto a bordo quanto em solo. Em outra iniciativa pioneira, a Azul passou a medir a temperatura dos Tripulantes a cada início de turno, aumentando a confiança em solo e a bordo e preservando a vida e a segurança de todos.

A companhia tem orientado o check-in pelo aplicativo da companhia e, para aqueles que precisa despachar a bagagem, sugere o uso dos balcões de autoatendimento, em que o próprio Cliente etiqueta sua bagagem sem contato com a tela dos tablets. Para o embarque, a Azul lançou o Tapete Azul, tecnologia pioneira no mundo, que é composto por um conjunto de projetores e monitores. Por meio de realidade aumentada projetores no chão formam um tapete virtual colorido e móvel, que convida a pessoa a se posicionar na fila de acordo com seu número de assento. A inovação vem proporcionando uma diminuição de cerca de 25% no tempo em que uma pessoa leva entre embarcar e sentar dentro do avião e, de quebra, contribui para o distanciamento social, já que os Clientes convocados para o embarque ficam a quatro metros de distância entre si.

A bordo da aeronave, kits com luvas, álcool em gel e lenço umedecido estão à disposição para uso dos Clientes e dos Tripulantes da Azul quando necessário. A companhia também tem utilizado descontaminantes bactericidas que contam com um princípio ativo que elimina o vírus da COVID-19 em 99,99% dos casos. Com o produto e a limpeza dupla nos assentos, mesinhas, bolsão, banheiros, encosto de cabeça, cinto de segurança, janela, paredes e compartimentos superiores, a Azul vem atendendo todas as normas de procedimento de limpeza e desinfecção sugeridas pela Anvisa. O serviço de bordo passou a ser realizado ao final do voo, garantindo o uso da máscara durante toda a viagem, e o desembarque agora é realizado por fileiras, evitando as costumeiras aglomerações no corredor no momento de saída da aeronave.

Fonte: AviaoRevue

(0)