A Azul fez a sua estreia na Ponte Aérea em grande estilo na manhã de hoje. Com direito a música ao vivo e uma roda de comemoração no saguão do aeroporto de Congonhas, a companhia, após onze anos de operação no Brasil, pode iniciar as ligações diretas entre a capital paulista e o aeroporto Santos Dumont, no Rio. A rota, que é a mais importante do país e a quarta maior do mundo em frequência de voos, contará com 16 ligações diárias da Azul.

Executivos, convidados, veículos de imprensa e mais de 200 Clientes estiveram a bordo das operações comemorativas, batizadas de Voo 1 e Voo 2, que decolaram quase simultaneamente dos dois aeroportos. O tradicional batismo das aeronaves no Rio e em São Paulo também marcou o momento histórico para a empresa e para a aviação brasileira.

Em celebração à chegada da maior companhia aérea brasileira em números de voos e destinos servidos na Ponte Aérea, os aeroportos de Congonhas e do Santos Dumont foram tomados pela Azul com duas grandes festas. Antes do início do processo de embarque em São Paulo, John Rodgerson, presidente da aérea, discursou para os presentes sobre a importância de existir mais uma empresa nesse importante mercado. “Pessoal, chegamos. Viva a concorrência. O aeroporto de Congonhas é o principal terminal doméstico do país e a Ponte Aérea é o quarto maior mercado do mundo e a Azul vai entrar forte neste mercado, oferecendo mais uma opção nessa rota. Ampliar a concorrência só traz benefícios para os consumidores. A presença de mais empresas aqui ajudará a baixar os preços das tarifas e aumentar a qualidade do serviço de todas as empresas. Estamos felizes em poder voar na ponte após onze anos de operação no Brasil”, vibrou o executivo.

“Quero convidar vocês a experimentarem a Ponte Aérea da Azul. Tenho certeza que a simpatia dos nossos Tripulantes vão encantar vocês e a qualidade e conforto dos nossos aviões vão fazer com que vocês queiram só voar de Azul”, completou Rodgerson.

Em função das obras na pista principal do aeroporto do Santos Dumont, no Rio de Janeiro, somente a Azul irá operar no terminal até o dia 21 de setembro, já que suas aeronaves Embraer e ATR estão certificadas para utilizar a pista auxiliar do aeródromo. A rota São Paulo-Rio de Janeiro será operada com os jatos Embraer, aviões com poltronas dispostas em 2×2 e telas de TV individuais.

Além do mundialmente premiado time de Tripulantes da Azul, na Ponte Aérea, o serviço de bordo terá um cuidado especial, mas os snacks e bebidas continuarão sendo servidos à vontade ao longo do voo. Com as 16 operações diárias ligando as duas importantes capitais, a Azul ofertará uma média de um voo a cada 50 minutos.

Em defesa da concorrência – Desde o encerramento das operações da Avianca, a Azul foi a única empresa aérea que se posicionou a favor de ampliar as opções na Ponte Aérea, visando quebrar o duopólio que surgiu no rota, já que Congonhas, principal terminal doméstico do país, é o único aeroporto congestionado do Brasil, sem autorizações de pousos e decolagens disponíveis. Após a revisão do conceito de novo entrante realizada pela Agência Nacional de Aviação Civil, a Azul recebeu novos slots no terminal, conseguindo assim tornar viável a sua operação no quaro maior mercado do mundo.

Fonte: AviaoRevue

(0)